quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Mais ou menos mãe...

Tem uma coisa que eu nunca imaginei que fosse me meter: discussão no facebook!  Sempre fiz minhas publicações sobre todos os assuntos: reclamei do refratário que estourou no forno, comentei que estava cansada, postei foto da gente na praia e comentei sobre parto.
Depois de ter conseguido meu VBA3C - sigla em inglês para parto normal depois de 3 cesáreas - passei a ver as coisas de forma diferente.  Parto e nascimento são coisas diferentes.  Cesárea não é parto, é cirurgia.  Bebês nascem e a mãe, ou passa por uma cirurgia ou por um parto.  Só aqui no Brasil cesárea é chamado de parto e parto é considerado arriscado!  Isso me deixa louca!
E tem mais: mãe é mãe.  Mãe adotiva.  Mãe mamífera.  Mãe de mamadeira.  Mãe de parto.  Mãe de cesárea.  Mãe de chupeta.  Mãe de sling.  Mãe de carrinho.  Mãe de cama compartilhada.  Mãe de cada filho no seu quarto.  Mãe é mãe.  Não importa o tipo de parto, a escolha de vida, o modo que educa.  Bastou assumir para si a responsabilidade materna e pronto: virou mãe.  Nunca eu disse e nem vou dizer que alguém é menos mãe ou mais mãe devido a via de nascimento de seus filhos.  Nunca vou dizer que alguém é menos mãe pq deu mamadeira ou que alguém é mais mãe pq amamentou o filho por 5 anos!  Para ser mãe é preciso escolher ser mãe.  Não é parir, não é gerar.  É uma escolha!  Se ser mãe fosse gerar ou parir, o que seriam das fantásticas mães adotivas, felizes e realizadas com seus filhos?  
Mas a coisa é que as pessoas se sentem perdidas quando ouvem alguém falar de parto e cesárea e logo já chegam gritando a plenos pulmões: "Eu não sou menos mãe pq meu filho nasceu de cesárea".  Mas quem falou em ser mãe ou menos mãe?  
Engraçado mesmo é que eu já me ofendi quando falavam de cesárea.  Já fiquei muito brava, já saí de comunidades do orkut por causa disso!  Claro que só quando pari, só quando consegui ter o meu VBA3C é que entendi o motivo da minha revolta.  Eu queria muito ter parido antes!  Eu queria ter tido partos!  Então me ofendia muito esse tipo de conversa.  Nesse tempo eu ainda só tinha 2 filhos e estava no começo da gravidez do Pietro.  Um VBA2C ainda era uma coisa distante e que eu não abriria mão de uma hotelaria de primeira em um hospital de primeira para ter a chance de parir.  Só depois de ter passado pela terceira cesárea e já ter saído da Matrix é que pude enxergar toda a violência que eu havia passado e submetido os meus filhos também.  Só então é que passei a enxergar as conversas sobre cesárea e parto sem abrir o bocão.  Passei a ler em silêncio reconhecendo o meu luto e minha dor por não ter parido.
E então eu pari e encontro mães revoltadas quando ouvem falar em parto normal.  Matrix!  E aí o Fantástico, o Show da Vida, mostra uma linda cesárea, cheia de emoções, com direito a bbzinho na incubadora.  O motivo da cesárea (que não foi dito, mas que ficou subintendido) foi que a bolsa estourou e o risco de parto era eminente!  Céus!  A bolsa estourou e vamos correr para a cesárea?  E então mostra a mulher completamente passiva, deitada na mesa cirúrgica, esperando que o "dotô" corte sua barriga para arrancar seu bb lá de dentro.  Cadê a mulher que a natureza preparou por todo o sempre para gerar, parir e nutrir?  Onde foi que a natureza involuiu a ponto de nos tornarmos incapazes de parir e nutrir nossas crias?  Não é muito contra as leis da natureza a involução das espécies?  Não deveríamos evoluir?  
Mas eis que semana passada uma postagem minha no Facebook trouxe uma breve discussão sobre ser mais ou menos mãe e a postagem só falava de parto....

Imagens retiradas daqui (cesárea) e daqui (parto natural).
Não resisto, preciso comentar: qual foto é mais linda?  Qual foto o bebê está sendo respeitado?  E a mulher?

3 comentários:

Tenikey disse...

Eu e Cecília, queremos desejar um feliz ano novo!! Obrigada por de alguma maneira fazer parte da nossa historia, que 2012 seja um ano de muita luz, bençãos e sucessos!!!
Beijos.

Simone Fonseca disse...

Que 2012 chegue com tudo em sua vida, trazendo novas realizações e aprimorando seus conceitos.
E que 2011 não tenha sido apenas mais um ano.

Estes são os votos do blog Boa Sorte!
http://boasorte.blog.br

Simone Menzani Marin disse...

Nossa, Larissa, q texto lindo!!!! Adorei mesmo.... Posso publicar alguns trechos dele??? Achei a sua reflexão muito especial para mim. Afinal, estou em busca do meu VBAC, e me identifiquei muito com "o luto e a dor de não ter parido". Sou do partonosso, acho q talvez vc se recorde de mim. Estou com 25 semanas e 3 dias de gestação. Bjos